Não o fiz!

Queria que você soubesse que ás suas coisas estão na gaveta, e a chave embaixo do tapete, já disse que você tem que parar com essa mania de deixar as chaves do lado de fora.


Talvez eu devesse ter ficado um pouco mais, feito o seu café e te ver sorrir pela última vez, aquele sorriso misturado com o mau humor que você tem pela manhã, porém não fiz, se eu ficasse para o café, sentiria a necessidade de ficar para o almoço, lanche da tarde, jantar, ceia e até colocaria o pijama para dormir.

Porém não fiz, não fiquei e parei de me anular, precisei partir e deixar tudo que me segurava ali, as nossas músicas, roupas, manias, cheiros e coisas tão nossas, manias bobas de alguns casais.

Poderia ser a gente andando na rua, viajando ou fazendo qualquer outra coisa, aquelas coisas que a sua merda de falta de tempo nos impediu de fazer, poderia ter insistido mais um pouquinho, coisa pouca sabe, porém não fiz.

Eu não tentei e não fiquei, sai de casa enquanto você dormia, passei a noite em claro tentando entender o porque mesmo eu tinha que partir e então me lembrei. Estou partindo por conta do coração quebrado, dos choros engasgados, da sua falta de tempo e de tudo aquilo que poderíamos ter sido e não fomos.

Estou partindo porque eu precisava me enxergar novamente, e não aquela namorada, que vivia oculta no tempo do namorado. Não serei mais aquela garota que faz o jantar e fica esperando você chegar.

Sinto em lhe dizer, não estarei mais na cama esperando você chegar, e nem no sofá assistindo o filme que combinamos, pela milésima vez sozinha. Não acredito mais que isso é normal em um relacionamento, eu sinto muito, se isso for normal, eu hoje desejo o anormal.

O passear de mãos dadas, assistir filme, dormir de conchinha, ás brigas, até dessas eu sinto falta, você não tinha tempo nem para brigar. Estou partindo e levo somente o que é meu, tudo que é seu eu deixo na gaveta, no apartamento e na sua vida.





0 comentários:

Postar um comentário

<< >>